maggbahia@hotmail.com

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Osesp inicia hoje, quinta-feira, temporada de 2013 com obras de Strauss e Ravel

                                                Pianista Jean-Yves Thibaudet
A Osesp (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) abre, hoje, sua temporada de 2013 sob a regência de sua titular, Marin Alsop.

No programa, dois poemas sinfônicos de Richard Strauss (1864-1949) e o "Concerto em Sol Maior", de Maurice Ravel (1875-1937), com o pianista Jean-Yves Thibaudet.

Trata-se de um dos dos maiores intérpretes de compositores como Debussy, Rachmaninov e Mendelssohn.

Thibaudet também interpretará "O Iluminado", peça mais curta para piano e orquestra, escrita em 1999 pelo compositor francês Guillaume Connesson, 41.

As duas peças sinfônicas de Strauss serão "Till Eulenspiegels" (1894) e "Assim Falou Zarathustra" (1896) --esta teve compassos inseridos na trilha de "2001 - Uma Odisseia no Espaço" (1968), filme de Stanley Kubrick.

Os poemas sinfônicos, criação de Liszt, são sinfonias de um único e longo movimento que em geral narram uma história. "Till Eulenspiegels" conta, por exemplo, as aventuras de uma versão germânica de Pedro Malasartes.

As duas peças de Strauss também serão interpretadas no domingo, às 11h, em concerto gratuito e ao ar livre no parque da Independência.

Na semana que vem a orquestra homenageia pela primeira vez Igor Stravinsky (1882-1971) pelo centenário da primeira apresentação de "A Sagração da Primavera", um dos motes da temporada. Será a estreia mundial de "Sacré du Sacré", composição do brasileiro Marlos Nobre.

Entre os dias 14 e 16 de março a orquestra estará sob a direção do finlandês Osmo Vänskä. Além da "Sinfonia nº 39", de Mozart (1756-1791), fará, com quatro solistas vocais e o coro da Osesp, a "Missa Glagolítica", de Leos Janacek (1854-1928).

Na semana seguinte (dias 21 a 23), um outro grande pianista, o americano Nicholas Angelich, fará o "Concerto nº 3", de Beethoven (1770-1827).

A temporada de 2013 terá 33 programas sinfônicos. O diretor artístico Arthur Nestrovski convidou maestros como Richard Armstrong e Heinz Holliger.

Entre os pianistas há o britânico Paul Lewis, ex-aluno de Alfred Brendel que, aos 41 anos, é unanimidade por seu fraseado singular. Ele virá em junho e interpretará Brahms. A contralto francesa e regente Nathalie Stutzmann será uma das convidadas.

Por fim, a Osesp lembrará o bicentenário de nascimento de Wagner e Verdi e o centenário de Britten.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não seja deselegante, utilize-se do seu espaço com dignidade.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.